ELAS cria treinamento intensivo para superar a Síndrome do Impostor

2ª edição do ELAS Day, uma imersão de 12 horas focada em ajudar mulheres a superarem síndrome que atinge 70% dos profissionais acontece no dia 23 de novembro. Vamos?

De acordo com estudo realizado pela psicóloga Gail Matthews, da Universidade Dominicana da Califórnia, nos Estados Unidos, a Síndrome do Impostor atinge, em menor ou maior grau, mais de 70% dos profissionais bem-sucedidos.

Autossabotagem, não se sentir merecedor(a) de suas conquistas, elevado nível de estresse, dificuldade em aceitar elogios, insegurança e perfeccionismo são alguns dos sintomas característicos dessa síndrome, que pode acarretar doenças graves, como transtorno de ansiedade e depressão.

Pensando nisso, a ELAS , primeira escola brasileira de liderança feminina, lançou em outubro o treinamento de alto impacto, com duração de 12h, para que mulheres aprendam a lidar com a Síndrome do Impostor e superá-la. O objetivo é ajuda-las a combater uma das origens mais comuns de transtornos depressivos e ansiosos no ambiente de trabalho.

“A pesquisa de Gail mostra que a Síndrome do Impostor afeta principalmente as mulheres. Por isso, focamos em desenvolver competências para que essas mulheres atinjam destaque em suas vidas pessoais e profissionais. Outro ponto fundamental é que, na imersão, teremos 12 horas para trabalhar com as alunas a capacidade de reconhecer o próprio potencial e fazê-las se perceberem como merecedoras de sucesso”, afirma Carine Roos, cofundadora da escola.

A segunda edição do ELAS Day acontece no dia 23 de novembro, das 9h às 21h, no Spaces da Vila Madalena.

Impacto

Iniciativas como esta têm alto potencial de impacto para além das vidas individuais de quem se propõe a enfrentar essas questões. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, mais de 260 milhões de pessoas convivem com transtornos de ansiedade pelo mundo. Os gastos relacionados a quadros de transtornos mentais custarão à economia mundial US$ 6 trilhões até 2030.

Estudo da Organização Mundial da Saúde destaca que cada dólar investido na expansão do tratamento de transtornos mentais comuns – como depressão e ansiedade – resulta em um retorno de quatro dólares em melhores condições de saúde e capacidade de trabalho. Ainda assim, o investimento em saúde mental cresce de forma insuficiente.

Treinamentos como o Programa ELAS , que já ajudou e certificou 500 mulheres, e agora o Day Training, são soluções para mulheres que, muitas vezes, apresentam esses sintomas sem ao menos percebê-los. “Trabalhamos para que elas se tornem mais estratégicas no ambiente de trabalho, exercendo uma maior capacidade de se posicionarem, lidar com relações de poder de forma mais assertiva, falar sobre resultados, blindar suas emoções, reduzir o nível de estresse e ansiedade”, explica Amanda Gomes, cofundadora da ELAS.

Fundada em agosto de 2017, a ELAS já impactou mais de 4 mil mulheres por meio de palestras, imersões e workshops. A escola possui 500 alunas certificadas, sendo que 30% delas já foram promovidas ou receberam aumento salarial dentro de seis meses após participarem do Programa ELAS.

Sobre a ELAS:

Criado em agosto de 2017 e alinhado aos Sete Princípios do Empoderamento das Mulheres nas empresas defendidos pela ONU, a ELAS (Exercendo Liderança com Assertividade e Sabedoria) é a primeira Escola de Liderança e Desenvolvimento voltada para mulheres que buscam assumir posições de destaque nas empresas ou na sociedade. Além de oferecer workshops, palestras e mentorias, a Escola se destaca por um curso exclusivo chamado Programa ELAS, sendo a formação mais completa e intensa da Escola de Liderança.

A Escola nasceu para promover mudanças rápidas e concretas na vida das pessoas e nos resultados das empresas, tendo como missão ser referência no desenvolvimento de mulheres no Brasil. A ELAS respeita a essência e o talento de cada aluna, garantindo uma medição do desempenho e da evolução pessoal promovido pelo treinamento. Acesse programaelas.com.br e saiba mais.

Sobre Carine Roos:

Formada em Sociologia pela Universidade de Brasília e em Comunicação Social pelo Centro Universitário UniCEUB, Carine é especialista em Equidade de Gênero e Inovação há mais de dez anos. Atualmente é CEO da UPWIT (Unlocking the Power of Women for Innovation and Transformation), uma consultoria em inteligência e equidade de gênero e inovação. Foi consultora de instituições voltadas à Tecnologia, Comunicação e Direitos Humanos, como a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), UNESCO, UNICEF e Ministério da Saúde.

Possui certificação internacional em Gerenciamento em Inovação Social pela Amani Institute, em Professional & Self Coaching pelo Instituto Brasileiro de Coaching e em Practicioner pela Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística. É ainda hipnoterapeuta Ericksoniana certificada pelo ACT Institute e especialista em análise comportamental DISC pela E-talent. É coautora e editora do eBook Mulheres Líderes na Tecnologia: como promover a equidade de gênero e reter talentos nas empresas.

Sobre Amanda Gomes:

Formada em Administração de Empresas e pós-graduada em Gestão de Varejo pela FIA-USP e com MBA Executivo pela Fundação Dom Cabral, Amanda tem mais de 20 anos de experiência no mundo corporativo, exercendo funções de alta liderança em grandes empresas. Atualmente é CEO da AMG Inovação, boutique de treinamentos na área de liderança e desenvolvimento comportamental para empresas e mentoria de empresários. É especialista na área de análise comportamental DISC, Practitioner em Programação Neurolinguística, Life, Business e Career Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching.

Autora do eBook As 10 premissas para se conquistar autoridade no ambiente de trabalho, coautora do livro Atitudes de Alta Performance com o Coaching e idealizadora dos programas de desenvolvimento Líderes para a Vida e Líder Águia.

Deixe uma resposta