Imaturidade Masculina: Eis a questão!

Imaturidade
substantivo feminino
  1. qualidade, estado ou condição de imaturo; falta de maturidade.

    Homem-imaturo-1Hoje vamos falar do homem imaturo. Aquele ser mimado e egoísta que prefere os amigos, o futebol, não reconhece os erros, tem crises de ciúmes, não sabe o que é ler um bom livro, adora falar gírias e vive no passado – na adolescência mesmo – mesmo tendo 40 anos ou mais – e foge de compromisso como o diabo foge da cruz. Lembrou de alguém? De vários? Se reconheceu nessa frase? Então senta que lá vem história.

    Dizem que o homem só amadurece depois dos 50. Às vezes nem aos 70. E sempre ouvi a frase que “a mulher amadurece mais rápido que o homem”. Tanto que é mais natural encontramos casais onde o homem é mais velho. O contrário quase sempre é visto como golpe do baú, tiazinha sem noção, papa anjo, etc. Outra frase famosa: “só os brinquedos dos homens é que crescem”. Atire a primeira pedra quem não conhece um homem que cuida mais do carro do que da esposa. Que passa horas alisando a moto e esqueceu do carinho no antes. Que é obcecado por tudo que é tecnológico e nem ao menos sabe a data do começo do namoro.
    OBS: Coloca como lembrete no celular, p….!!!

    Resolvi então pesquisar sobre o assunto e vi que a maturidade depende de vários fatores: “a herança (o nosso patrimônio genético, aquilo que herdamos os nossos pais), o ambiente (aquilo que nos cerca) e a experiência de vida (a biografia de cada um). ” Aí, fica difícil generalizar.

    Imaginem um homem que passou por perdas, teve que trabalhar desde cedo, recebeu da mãe uma educação libertária e tem valores a frente do seu tempo. Ele pode ter 20 anos e ser absolutamente maduro. Da mesma forma que um outro, mimado desde o berço, com a síndrome do filho caçula, se achando a última bolacha do pacote vai ser um imbecil completo aos 40. E aos 100.

    Vamos mais além: o que as meninas ganham de aniversário desde crianças? Bonecas. Para que? Para CUIDAR. Nos tornamos mães ao nascer! Somos responsáveis pelo outro desde a mais tenra idade. Nos é imposta uma maturidade falsa desde os primeiros anos de vida. E ganhamos também vassouras, ferrinhos de passar, panelinhas. Ou seja: nosso destino já estava traçado: seríamos mães e donas de casa.

    As “Barbies” e “Susies” – e outras modernosas que não vou saber o nome – mudaram muito isso. Elas podiam ser médicas, roqueiras – eu tive uma – bailarinas, modelos…e namoradas do Ken. Os meninos ganhavam o quê? CARROS! Eles aprendem a dirigir também desde sempre. Não, isso não quer dizer que não sabemos dirigir. Até porque, conheço mulheres que dão um baile em muitos homens até na baliza! Isso quer dizer que o mundo externo sempre foi apresentado de maneira lúdica para o homem, junto com a diversão. Bola, estilingue, carrinhos de rolimã…Ai do menino que pegasse uma boneca para ninar! No mínimo, era gay.

    Ok, ok. Isso tudo mudou radicalmente, graças a Deus. Mas criamos uma geração de homens despreparados para assumir compromissos. Para tomar a iniciativa. Até mesmo para fazer um jantar…Eles estavam prontos para cair na farra! Mostramos a eles, durante décadas, que estávamos ali, gerando filhos e passando roupa. Para ele. E acho que tudo mudou depois da revolução sexual.

    Afinal, com toda a nossa nova roupagem, eles precisaram levantar a bunda da cadeira. Mães com tripla jornada não imaginam filhas donas de casa, mas doutorandas. O menino quer bordar? Ótimo, pode ser um grande estilista! Até porque, nesse novo lar que impera, nem sempre tem o pai para reprimir qualquer opção profissional ou sexual. Tudo mudou rápido demais. E nem tudo é tão bom assim. O furacão no qual estamos inseridos tem nos mostrado valores absolutamente inexistentes há pouco tempo atrás. O homem teve, sim, que reavaliar o seu papel e assumir que hoje, ele pode ser feliz sendo um coadjuvante na vida de uma grande mulher.

    Pois as grandes mulheres de hoje estão no campo de batalha. Promotoras, desembargadoras, prefeitas, vereadoras, professoras, deputadas, médicas, enfermeiras…Todas sobrecarregadas e sedentas de um parceiro que as apoie. E homem imaturo não apoia. Ele quer para si todos os holofotes. Ele precisa de atenção. Ele não tem coragem de terminar um namoro, prefere chifrar uma mulher e ainda se gabar para os seus companheiros. O ciúmes é sua grande morada e a chantagem emocional sua fiel companheira. E aí, queridos, ele dança.

    Porque quando uma mulher se depara com um joguinho idiota ou se o cara simplesmente a despreza, ele perde ali. A maturidade se tornou uma obrigação. E isso perpassa por várias áreas. Acredito que a inteligência é a parte mais sedutora do ser humano. Me apaixono por cérebros. E quem não está preparado para uma mulher madura, que pensa, toma a frente e decide, vai ficar pra trás. Ou namorar com aquelas que, depois dos 4o, ainda falam igual menininha e pintam a unha com flor.

    Como a maturidade depende mais de fatores externos do que hormonais, temos também mulheres que fazem feio por aí. Se vestem e se portam como adolescentes e ainda acreditam naquele príncipe encantado que vai mudar radicalmente a sua vida. #vergonhaalheia. Mas isso é pano para outra manga.

    No fim, acredito que temos o que merecemos. Talvez estejamos em relacionamentos falidos com pessoas imaturas porque ainda não acreditamos o suficiente em nós. Sempre vale lembrar que ninguém vai nos completar. Ser feliz é um sentimento solitário. Ninguém pode ser responsável por isso. Claro que ele pode ser compartilhado, mas a energia que nos contagia é só nossa. Imaturos ou não. Então saiba exatamente o que você quer para si. Tenha metas imensas, ambições universais. E descarte homens e mulheres que se apegam à outras épocas, à fofocas, à mesquinharias. Imaturidade não tem a ver com idade. Ela conversa com liberdade, responsabilidade e respeito. E você, o que quer?

    SAIBA MAIS EM: http://blog.quadrante.com.br/como-e-uma-personalidade-imatura/

    http://irresistivel.com.br/10-sinais-que-voce-namora-um-homem-imaturo/

 

4 Comments

Add Yours
  1. 1
    karyne

    Que pertinente esse texto!

    Compartilho da msm opinião que vc. Somos criadas para sermos ~cuidadoras~.

    Ainda bem que eu ganhava era bicicleta entre outras coisas e nunca boneca. E nem por isso me sinto menos mulher, menos feminina, mas mto mais forte que mtas mulheres, isso sim!

    Grande abraço!

    • 2
      Carol Meyer

      Obrigada querida! Eu também fazia carrinho de rolimã, era bem moleca, mas acredito que em momento algum perdi a minha feminilidade, apenas fiquei mais segura e eclética. Muito obrigada por estar aqui, fique a vontade para sugerir, criticar, elogiar…Grande abraço!

  2. 3
    Gilmar Gonçalves vieira

    Bom dia, ufa!!!!!!! o assunto é daqueles que dá pano prá manga, ficou longo e ficaria muito mais se você não desse um ponto final na verdade poderiam ser reticências. As vezes usamos muletas imaginárias para encarar ou nos escondermos na vida,e essa tal felicidade onde está?confesso que ainda procuro a minha!começo achar que seja utopia, quanto ao progresso das mulheres não sou contra só não queria que elas não perdessem a feminilidade nessa busca de igualdade para com os homens.Bom vamos terminar porque já estou ficando melancólico.
    Abraço;
    Gilmar

    • 4
      Carol Meyer

      Bom dia querido! Sem dúvida, tem muito pano para manga e tem muita felicidade para você também. Concordo que a mulher não deve nunca perder a feminilidade e acredito que alguns valores tem que ser retomados. Muito obrigada por comentar, sua participação é sempre bem vinda! Grande abraço.

Comments are closed.