Vem aí o VAC!

Voltei e já com novidade boa! Hoje teve um delicioso café da manhã para falar sobre a nova edição do VAC – Verão Arte Contemporânea – e pode se programar porque vai ser lindo!

49637400_2155187427858402_3206873057096368128_oEm janeiro, a arte contemporânea toma conta dos espaços culturais de Belo Horizonte com o Verão Arte Contemporânea, o VAC. O evento já faz parte do calendário do verão belo-horizonte e, este ano, chega a sua 13ª edição!

Com três dias a menos que a edição de 2018 e cortes nas categorias arquitetura e moda, o Verão de Arte Contemporânea tenta resistir em meio a cenário incerto na área. Se ano passado a edição foi mágica, esta é a base de reza e mantras diários. Afinal, milagres acontecem! E ele aconteceu através do patrocínio do UniBH, o que deu mais força ao apoio dos artistas e de diversas instituições para a realização do VAC 2019.

“Fomos aprovados na lei estadual e municipal. Mas não conseguimos captar. O que a gente fez para manter o projeto foi convidar os artistas em forma de parceria. Contamos também com diversas parcerias, como por exemplo, a cessão de espaços. Um evento na garra que as pessoas abraçaram”, explica a diretora artística e curadora Ione de Medeiros.

Programação

Mesmo mais enxuto, o evento não perde sua característica de fomentar a arte em suas diversas formas. Uma das novidades desta edição é a homenagem à cineasta Agnés Varda e ao diretor de teatro falecido João das Neves. Dessa forma, uma mostra exibirá filmes da cineasta no Sesc Palladium. Estão no pacote os longas ‘Visages, Villages’ e ‘Jacquot de Nantes’. Já para dar as honras à João das Neves, o VAC preparou uma apresentação com Titane, Rufo Herrera e convidados. Tem ainda a apresentação do espetáculo “Madame Satã”.

A peça é a única que repetirá na programação do evento. Por ser uma homenagem ao diretor, segundo Ione a característica principal do VAC é a valorização do novo. “Temos uma curadoria e mantemos alguns critérios como por exemplo a valorização de grupos maiores, espetáculos que estrearam em até três anos e o espaço para a renovação. O objetivo é focar em grupos que tem proposta e experimentação”.

O espetáculo ‘Planos Incríveis’, do grupo Jornada, é uma das atrações inéditas. Tem ainda lançamento do álbum ‘Universo Reflexo’, de Gustavito Amaral e Thiago Braz. Por fim, outra novidade desta edição é a apresentação do espetáculo ‘O Atormentador’ em Tiradentes, no dia 22 de janeiro.

Segundo Ione, a programação é um frescor da produção mineira e local. Sendo assim, ainda estão na seleta lista Julia Branco, Sarau do Memorial com Ricardo Aleixo, Grupo Toda Deseo, Companhia Absurda, Projeto Gororoba e outros. A abertura do VAC, no dia 23, ficará a cargo de ‘A Ufsjazz BigBand’, de São João del Rei, a cantora Aline Calixto, Assucena Assucena e Raquel Virgínia no grande teatro do Sesc Palladium.

Julia-Branco-02-Crédito-Rafael-Sandim-1024x567Foto: Rafael Sandim / Divulgação – Julia Branco é uma das atrações do VAC 2019

Arte que reflete inquietações

Ione destaca que todas as atrações estão em consonância com o projeto. “O Verão é um evento muito bem definido. O nosso público é de pessoas que buscam frescor, ver coisas diferentes e com qualidade. Nossa proposta é mostrar a arte contemporânea em vários olhares. O Verão detecta os movimentos de ruptura e isso que impulsiona a arte para representar seu tempo.”

Saiba mais: https://www.facebook.com/veraoarte/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *