Clássico de cara nova? Confira os reboots que deram certo!

O cinema é uma arte repleta de referências: literatura, artes plásticas, música… Uma mesclagem que inspira roteiros, personagens e padrões da sétima arte. As refilmagens de clássicos do cinema são, acima de tudo, uma oportunidade para vermos histórias consagradas sendo recontadas, variando o contexto, época e técnicas utilizadas para compor a produção. Aproveitando a expectativa do reboot de Duna, que teve algumas imagens reveladas recentemente –  e a quarentena, que nos dá tempo de sobra para ver e rever bons filmes – separamos uma lista de remakes de clássicos que deram certo. Confira e conte quais são os seus!

 

A Fantástica Fábrica de Chocolate (1971 / 2005)

Estrelado pela primeira vez pelo saudoso Gene Wilder, em 1971, o clássico musical A Fantástica Fábrica de Chocolate não foi o sucesso que se esperava na época, faturando bem pouco a mais que seu orçamento nas bilheterias. No entanto, sua trilha sonora e a atuação de Wilder como Willy Wonka concorreram ao Oscar e ao Globo de Ouro, respectivamente. Em 2014, o filme foi preservado no Registro Nacional de Filmes da Biblioteca do Congresso dos EUA por ser considerado “culturalmente, historicamente e esteticamente significante”. Com um valor de produção baixo para os padrões de Hollywood, o filme traz cenários artesanais, como um lago de chocolate verdadeiro, que reforçam o realismo e a conexão das crianças com sua estética e personagens até hoje.
Em 2005, o diretor Tim Burton agregou sua roupagem própria em uma nova produção, trazendo para o papel do excêntrico Willy Wonka um de seus atores preferidos, Johnny Depp. Os dramas e lições passadas pelas crianças que visitam a fábrica também sofreram algumas adaptações para os dias atuais, renovando a mensagem do filme para uma nova geração.
Você pode alugar o clássico de 1971 no Google Play, Apple iTunes ou Looke, ou assistir à versão de 2005 direto na Netflix.

Nasce Uma Estrela (1937 / 2018)

Diversas refilmagens de Nasce Uma estrela foram feitas, desde o lançamento de sua primeira versão, em 1937. No entanto, a base do roteiro (premiado com o Oscar) segue a mesma: uma jovem decide seguir carreira artística e se molda aos padrões das estrelas de cinema ou (nas adaptações mais recentes) da música, enquanto seu par romântico se sente ofuscado por seu sucesso, baseando assim críticas sobre o quão necessário é montar-se como um personagem para alcançar a fama e quanto é doloroso não conseguir mantê-la. No contexto da crise de 1929, onde Hollywood voltava a aquecer seus motores e jovens moças sonhavam com o estrelato nas grandes telas, o filme de 1937 critica a indústria cinematográfica. Já em 2018, e nas adaptações mais recentes (como a estrelada por Barbra Streisand em 1976) a trama se desenvolve no mundo da música, trazendo em sua versão contemporânea uma química impressionante do casal de protagonistas, interpretado por Lady Gaga e Bradley Cooper. O filme de 2018 concorreu a vários Oscars, levando pra casa o de Melhor Canção pelo hit Shallow, composto pela protagonista.
Nasce Uma Estrela (2018) tem 90% de aprovação no Rotten Tomatoes e está disponível no streaming da HBO.

Onze Homens e Um Segredo (1960 / 2001)

Além do roteiro, que segue em ambas as versões a premissa de um assalto milionário aos cassinos de Las Vegas, os filmes compartilham outro grande fato: um elenco renomado. A versão de 1960 é estrelada por Frank Sinatra, Dean Martin e Shirley MacLaine; em 2001, estrelas como Brad Pitt, George Clooney, Julia Roberts e Bernie Mac integraram o longa, que tem 82% de aprovação da crítica no Rotten Tomatoes, superando em muito a versão original, que apresenta módicos 50% no tomatômetro. Na adaptação mais recente, Danny Ocean (George Clooney) acaba de sair da prisão, e planeja um roubo milionário a três grandes cassinos de Las Vegas, reunindo uma equipe de 11 especialistas para realizar o feito. Todos eles precisam desenvolver o plano como se não tivessem nada a perder, porém, seguindo as regras: sem ferir ninguém e sem roubar quem não merece. Será que eles conseguem?
Assista à versão de 1960 no Apple iTunes. A adaptação de 2001 está disponível no streaming HBO Go.

Adoráveis Mulheres (1933 / 2019)

Baseado na obra de Louisa May Alcott, escrita em 1868, ambas as produções cinematográficas abordam assuntos bastante atuais, como emancipação feminina, em pleno século XIX. Com um tom autobiográfico, a autora narra a história de um grupo de mulheres, que quebraram alguns padrões femininos de sua época. A autora era assumidamente feminista e abolicionista, e suas convicções políticas e sociais estão fortemente presentes em sua obra.
O filme de 1933 foi lançado no Brasil com o título de As Quatro Irmãs, evidenciando as protagonistas, conhecidas como irmãs March. O long levou o Oscar de Melhor Roteiro adaptado e tem 94% de aprovação no Rotten Tomatoes.
Seu sucessor, dirigido no ano passado por Greta Gerwig, levou a estatueta de Melhor Figurino na última edição do Oscar e foi escolhido pela revista Time como um dos dez melhores filmes de 2019. Você pode alugar Adoráveis Mulheres no Google Play, Looke ou Apple iTunes.

Boa diversão!

#TODOSEMCASA