As francesas são famosas no mundo inteiro por seu estilo chique e clássico. Reconhecidas por imprimir um toque elegante em looks até mesmo simples, elas sabem como deixar qualquer peça com “cara de cara”. Então, vamos de francesas!

Calça jeans: Sempre, em qualquer lugar, com qualquer coisa. Tire-a do seu armário e a parisiense se sentirá nua. Saiba mais: http://www.dicasdacarol.com.br/jeans-que-te-quero-meu/

O sapato masculino: Simplesmente porque sempre te disseram que esse sapato chique e sem salto não era feito para as meninas e porque você tem o espírito rebelde. Esse, aliás, é a essência do seu estilo.

A bolsa: Não é um acessório, é sua casa, uma zona completa onde você acha tanto um trevo de quatro folha seco quanto uma conta de luz velha. E se ela é linda do lado de fora, é só para manter as aparências. E que ninguém ouse investigar o que tem dentro dela.

O blazer preto: Aquela que dá um estilo elegante a um jeans meio sujo (o que você usa o tempo todo ), aquele que você vestenos dias que não quer fazer nenhum esforço para se vestir bem, sem que o desleixo seja evidente.

As sapatilhas: Devem ser o equivalente a um par de chinelos que você nunca compraria. Você não negocia entre conforto e elegância. Para você, é os dois ou nada. Audrey Hepburn nunca foi vista com um par de sandálias papete.

O lencinho de seda: Ele tem mais de uma função: Primeiro, confere um toque de cor a uma roupa escura, sem o risco de dar um passo fora da cadência na melodia da moda. Além disso,caso chova, você pode usá-lo para cobrir a cabeça, como Romy Schnneidder. E, às vezes, ele também serve para assoar o nariz da sua filha quando acabam os lenços de papel. Tem mais aqui: http://www.dicasdacarol.com.br/como-usar-lencos/

A blusa branca: Ela é emblemática e atemporal. Leia: http://www.dicasdacarol.com.br/camisa-branca/

O trench coat: Sim, ele não te protege tanto do frio quanto a doudoune, aquele casaco acolchoado à la boneco Michelin. Mas quando vestimos uma doudoune temos a impressão de acrsscentar voluntariamente pneuzinhos a nossa cintura.

O cachecol enorme: Justamente porque você não tem uma doudoune. E graças a toda essa sua mise-en-scène, você acaba ficando com frio.

O casaco comprido por cima dos ombros: Você usa de manhã depois da resta, com ose estivesse enrolada em um edredom. Ele é macio como um ursinho de pelúcia, aconchegante como um ansiolítico, amplo como um biombo. Para os dias em que estamos de mal com o nosso quadril.

Os óculos escuros básicos e enormes: Todos os dias, mesmo quando está chovendo, pois sempre há um bom motivo para usá-los: muita luminosidade, ressaca, choradeira, vontade de criar um ar de mistério…

A blusa larga: Você sempre abre um botão a mais e a deixa um pouco solta para que não fique com ar sério demais. Em geral, você pegou emprestado do seu namorado, não devolverá nunca mais, e a usará mesmo quando, um dia, estiver nos braços de outro homem. Porque o amor passa, enquanto algumas modas perduram.

A camisetinha simples que custa caro: A contradição guia a sua vida como a liberdade guia o povo. Você aceita ceder aos modismos mais populares, mas sem abrir mão totalmente do toque de luxo. Por isso você passa horas procurando a camiseta ideal cuja malha fina e um pouco transparente criará o efeito de uma caxemira.

Gostou? Então crie o seu estilo!

FONTE: “Como ser uma parisiense em qualquer lugar do mundo.”