Toda as vezes que uso a minha meia arrastão percebo olhares de reprovação e de desejo. De homens e mulheres. É intrigante como um item pode gerar tantas emoções diversas e quase contraditórias. Para quem  nunca usou, vale a experiência. Mas antes, vamos saber um pouco mais sobre a polêmica meia arrastão.

Elas sempre voltam no inverno em versões clássicas ou modernas, mas você sabe onde ela surgiu? A meia-calça tem uma história um tanto curiosa: Há registros de seu uso desde a Mesopotâmia, quando era utilizada por soldados para afastar o frio no inverno, e por muito tempo foi, também, item de sedução no armário dos nobres, que competiam entre si pela riqueza dos bordados exibidos em suas peças.

Só por volta de 1780, com o avanço da tecelagem e a descoberta de materiais mais finos é que elas foram incorporadas ao guarda-roupa feminino, caindo em desuso entre os homens. Desde então, diversos modelos surgiram e, em todas as temporadas, temos um novo modelo para chamar de nosso.

madonna-meia_arrastão-spfw-lfw-fashionistando-05

Hit dos anos 80 e talvez uma das pouca coisas que realmente se salve dessa época, a meia calça arrastão  sempre ressurge modernizada e revisitada. Impossível não associá-la aos looks icônicos da diva pop Madonna, que ia além das meias e apostava também em tops, luvas e maiôs de rede; há, ainda, quem prefira associá-las à rebeldia adolescente do rock e punk, onde apareciam tanto nos looks femininos quanto nos masculinos .

Controversa desde seu lançamento, a meia arrastão tornou-se bastante popular entre as dançarinas de cancan de Paris, e, durante muito tempo foi considerada um item de extremo mau gosto, porque, diferente das outras meias da época, ela deixava à mostra a pele de quem a vestia. No entanto, foi esse pequeno detalhe que popularizou-a no o cenário da dança. Mas que também a deixou com péssima fama!

Como na época as meias comuns eram confeccionadas em seda e rayon, elas não permitiam que a pele transpirasse e  não possuíam elasticidade alguma, dificultando os movimentos. Por esse motivo, os furos da meia arrastão rapidamente a transformaram em uma opção mais confortável e funcional para as dançarinas.

Com a obsessão pelas pin ups tomando conta da cultura norte-americana na década de 1950, elas logo foram incorporadas no imaginário nacional, carregadas de sensualidade e elevadas ao status de símbolo sexual por figuras como Bettie Page e Marilyn Monroe.

Algumas décadas depois, quando o movimento punk tornou-se popular nos anos 1970, ele trouxe consigo uma estética bastante peculiar. Modificações corporais, moicanos, muito couro, jeans rasgados, pactches e roupas cheias de referência ao BDSM faziam parte dos looks dos jovens que subvertiam a ordem e pouco ligavam para as convenções sociais.

Nessa época, as meias arrastão voltaram com toda a força e logo passaram a ser abraçadas também pelo mainstream, tendo o auge da sua popularidade na década de 1980, com um empurrãozinho da cantora Madonna. O sucesso foi tanto que a meia arrastão ganhou até música em sua homenagem: Fishnet, do cantor Morris Day.

Tão carregada de simbologia, é natural que até hoje a meia calça arrastão cause um pouquinho de estranheza e há quem torça o nariz à primeira menção de seu nome. Porém, de uns anos pra cá, ela tem se tornado cada vez mais presente nas fotos de street style pelo mundo afora, além de ser figurinha carimbada nos shows de cantoras como Beyoncé e Rihanna.

Da rua para as passarelas, foi nos desfiles internacionais de 2016 que a meia arrastão ganhou um novo significado, mais cool e menos sexy, aparecendo em variações interessantes nas coleções de grifes como Maison Margiela, Balmain e Simone Rocha.

Dicas de como usar

Perfeita para o nosso clima tropical, a meia arrastão é ideal para o verão e  faz bonito até mesmo no inverno ou na troca de estações, quando pode ser usada por cima de uma meia calça cor da pele. E se você ainda está na dúvida de como incorporar a tendência no seu dia a dia, separei uma seleção de imagens inspiradoras, com editoriais e imagens de street style, que provam que todo mundo pode (e deve) ter uma dessas no seu guarda-roupa já. Afinal, você consegue usar a meia-calça arrastão de várias maneiras: com saia, vestido e shorts mais variados estilos e tecidos, pois dá para usar com tênis, bota e até mesmo sandálias para looks mais ousados. Eu adoro fazer um look total black e deixar a meia arrastão dar o ar da sensualidade. E você?